” Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo. Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos” .

Sigmund Freud


O Departamento de Comportamento Humano e Comunicação – DCHC tem a função de preparar profissionais com alta qualificação profissional com habilidades e competências especiais nas áreas de Perícia Corporal e Facial, Comunicação Não Violenta – CNV, Comunicação e Linguística Para Paz -CLP, Programação Neurolinguística – PNL, Psicanálise, Analista Comportamental e áreas de aderência.

O QUE FAZ UM PERITO EM LINGUAGEM FACIAL & CORPORAL?


Um Perito em Linguagem Facial & Corporal trabalha para identificar os diferentes traços comportamentais humanos de micro, macro expressões faciais, bem como as expressões faciais dissimuladas e artificiais. Assim, o seu papel em uma organização é de suma importância, pois visa a prevenir conflitos e a contribuição para entender o proceder de diferentes indivíduos em diversos contextos do cotidiano. A sua atuação poderá ocorrer na esfera privada, ou se for solicitado, na esfera judicial. As suas áreas de atuação incluem entre outras:

ONDE E COMO PODE ATUAR?

Empresarial – são capazes de detectar os mais diversos comportamentos dos funcionários tais como: desmotivação, motivação, agressividade, satisfação, podendo prevenir, gerir e solucionar comportamento que possam impedir o seu desempenho laboral. Na seleção de candidatos, por exemplo, que é um processo no qual é de suma importância avaliar o perfil de um candidato e a veracidade de seu discurso, a fim de averiguar se, dentro dos estudos da psicologia do engano, o candidato apresenta coerência entre o que ele é e o que diz ser e como ele se vê.

Advocacia – iniciando pela primeira entrevista com o cliente em todas as áreas do Direito, bem como, e principalmente, na esfera criminal, quando da escolha do júri. O comportamento das partes em uma sessão de conciliação, sessão de mediação, audiência de instrução, a linguagem verbal ou escrita exibem o que foi coordenado, acertado, ensaiado, treinado e ensinado a ser dito, mas a linguagem facial e corporal, podem, em sua maioria, contradizer tudo o que foi dito ou escrito. Temos em nosso cenário nacional, alguns exemplos onde o estudo da linguagem corporal foi utilizado no tribunal, como o caso do juiz Max Carrion Brueckner, da 6ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, que não considerou o depoimento de uma testemunha, por entender que suas expressões gestuais não estavam em assonância com o que ela estava falando.

Negociação – todo negociador necessita ter habilidades e competências de persuasão verbal e não verbal. Por exemplo, na área de vendas, um vendedor pode identificar o grau de satisfação de um comprador em relação ao seu atendimento e ainda poderá gerar mais credibilidade em seu discurso.

Escola – professores, diretores, coordenadores, todas que estão envolvidos de uma forma direta ou indireta nesse campo de atuação, se forem capacitados com técnicas de perícia em linguagem facial e corporal poderão contribuir ainda mais mais prevenir o bullying, por exemplo, bem como outros comportamentos, tais como: falta de atenção na aula, hiperatividade, agressividade, tristeza e muito mais. Em estudo recente, com base em análise comportamental entre outros métodos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) apresenta dados que apontam a prevalência de Autismo em 2020 de 1 para cada 54 crianças. No Brasil ainda não existem dados estatísticos, mas a previsão é que os dados do Brasil acompanhem os mesmos índices dos Estados Unidos.( clique aqui para ler a reportagem)

Lista de Perito em Linguagem Facial & Corporal – do DLFC do IBRAMAC

Jean Carlos Dal Bianco | Situação: ATIVO | Registro: PLFC 2001/21

Maria Augusta Bastos | Situação: ATIVO | Registro: PLFC 2002/21

Katarina Monteiro Bezerra | Situação: ATIVO | Registro: PLFC 2003/21

Enviar mensagem
Fale conosco
Ibramac
Olá!
Como posso te ajudar?